Sex shops dedicadas a evangélicos crescem no Rio: ‘Público é fiel’, diz proprietária

PUBLICIDADE

A empresária Carolina Marques, de 26 anos de idade, já possuía um filho de uma relação passada quando conheceu seu atual marido, com quem tem uma união estável desde o mês de janeiro. Mesmo assim, ela é convertida a igreja Assembleia de Deus há cerca de 3 ano. Carolina esperou casar-se para que pudesse ter relações sexuais com seu atual marido.

Dona de um sex shop chamado ConSensual que é direcionado para o público evangélico, a empresária conta que deseja levar aos seus clientes desse nicho a de a relação sexual não precisa ser nenhum tabu e que nem deveria ser vista com uma coisa suja — desde que ocorrs entre uma mulher e um homem que estejam casados.

PUBLICIDADE

Em sua loja de brinquedo eróticos que ela chama como ‘Love Store’ ao invés de ser ‘Sex Shop’, as aparências importam bastante. As embalagens são de cores sóbrias, e os produtos não possuem nenhum nome sugestivo em seu sua loja, que foi aberta no mês de maio.

Ela conta que não tem como vender produtos com nomes como “ppk louca” por isso assusta as pessoas que querem comprar. Carolina enxerga seu negócio muito mais além do que uma simples fonte de renda, ela acredita que sua marca possui um propósito: ajudar os casamentos a pendurar.

PUBLICIDADE

Produtos para sexo anal, não são o foco da loja de Carolina, pois ela relata que isso dentro do meio cristão, essa área é vista apenas de uma maneira fisiológica, tanto que não possui nenhuma lubrificação natural.

O portal de notícias online G1 conversou com mulheres evangélicas que optaram por não serem identificadas, porém garantiram que incluir esses produtos em suas vidas sexuais fazem bastante diferença.

PUBLICIDADE

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.