Sabia que as palavras da nossa boca têm grande poder para o bem e para o mal?

Veja o que o próprio Jesus diz à respeito:

“Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo. Porque pelas tuas palavras serás justificado, e pelas tuas palavras serás condenado.”

Mateus 12:36,37

PUBLICIDADE

Jesus garante que no dia do juízo TODOS irão dar conta das coisas ruins, das murmurações e coisas anti bíblicas que falamos com a nossa boca. Isso é muito sério!!

Veja que para Jesus, nossas palavras tem tanta importância… que no versículo 37 ele afirma que por nossas palavras somos abençoados ou condenados.

As coisas que falamos com a nossa boca podem melhorar nossa situação ou piorar muito!

PUBLICIDADE

O diabo sabe muito bem disso, então ele muitas vezes “cochicha” coisas ruins ao nosso ouvido para ver se repetimos / confessamos… para nós mesmos ou para outras pessoas.

Quando confessamos o mal com a nossa boca, estamos “concordando” e dando legalidade para ele se tornar realidade e agir, e dessa forma abrindo mão das promessas que temos na Palavra de Deus.

Funciona mais ou menos assim: nos deparamos com um problema ou uma situação adversa… e logo vem um pensamento:

PUBLICIDADE

“Olha como nada dá certo!”

Então a pessoa repete:

– “Que coisa! nada dá certo na minha vida, tudo que eu faço dá errado… ”

“Seu filho é um caso perdido”

Ae a pessoa repete:

– “Você é uma praga moleque, um drogado! Não tem mais jeito mesmo!”

Dessa forma amaldiçoamos à nós mesmos ou à nossos familiares.

Não podemos abrir nossa boca para repetir pensamentos ruins, nem ficar confessando problemas e derrotas. Quando vier esse tipo de pensamento, temos que clamar à Deus e muitas vezes nos calarmos. Por isso a bíblia diz que o homem sábio é tardio em falar.

Veja o que diz o apóstolo Paulo:

“Portanto, escrevo estas coisas estando ausente, para que, quando estiver presente, não use de rigor, segundo a autoridade que o Senhor me deu para edificação, e não para destruição.”

2 Coríntios 13:10

Veja que Deus nos deu poder para edificação, mas ocorre que muitas vezes usamos ao contrário… para destruição.

Veja esse exemplo:

A pessoa está com um familiar muito doente e pede oração.

A igreja faz uma oração à Deus, a pessoa ora junto com fé e concorda… então logo depois encontra alguém na rua, que pergunta:

– “Como está seu familiar?

A resposta:

– “Ahhh… está MUITO MAL, acho que não tem mais jeito, to achando que vai morrer!”

Com essa confissão a pessoa ANULA completamente a oração que acabou de ser feita, pois está confessando com a boca sua total falta de fé em Deus. Certamente  irá morrer!

Por isso muitas vezes oramos e não nada acontece, porque nossas atitudes e o que falamos vão contra o que foi pedido e orado à Deus. Dessa forma não estamos demonstrando fé e confiança no agir de Deus.

Vejam esse exemplo bíblico sobre Zacarias, o pai de João Batista.

Ele era sacerdote no templo – conhecia a palavra de Deus – estava orando há anos pedindo que sua esposa engravidasse, pois ela não era fértil. Então o Anjo Gabriel apareceu para ele:

“Mas o anjo lhe disse: Não temais, Zacarias; porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João;

e terás alegria e regozijo, e muitos se alegrarão com o seu nascimento; porque ele será grande diante do Senhor.”

Lucas 1:13-15

Veja a resposta de Zacarias: Mesmo sendo um sacerdote, conhecendo a Palavra de Deus e tendo orado durante muito tempo sobre isso… ele duvidou com a sua boca da palavra do Senhor, confessou as adversidades ao invés de concordar e receber a benção:

“Disse então Zacarias ao anjo: Como terei CERTEZA disso? pois eu SOU VELHO, e minha mulher também está avançada em idade.

Agora vejam que o Anjo o deixou mudo até o dia do nascimento de João Batista, para que com a sua boca descrente não acabasse fazendo a mulher perder o filho:

“Ao que lhe respondeu o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para te falar e te dar estas boas novas;

e eis que ficarás mudo, e não poderás falar até o dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo hão de cumprir-se.”

Lucas 1:18-20

Nesse exemplo específico, Deus tinha um propósito forte: A vinda de João Batista para anunciar Jesus Cristo. Por isso o anjo o deixou mudo e prosseguiu com o plano de Deus.

Mas muitas vezes quando falamos contra o propósito de Deus, Ele não interfere da mesma forma… e deixamos de ser abençoados por causa das coisas que falamos que são contrárias à Fé.

Não devemos NUNCA murmurar diante das adversidades, ou simplesmente quando algo dá errado.

Vejam o que Deus fala através de Davi no livro de Salmos:

“Vinde, filhos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor.

Quem é o homem que deseja a vida, e quer longos dias para ver o bem?

Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem dolosamente.”

Salmos 34:11-13

Nossa boca tem o poder de abençoar e amaldiçoar!

De condenar alguém ou justificar, de curar ou mesmo matar!

Para mudar uma situação ruim, uma adversidade, um quadro de problema financeiro ou doença… temos que, com nossa boca, confessar a Palavra do Deus vivo.

Confessar o Nome que tem poder sobre todo nome, que tem a chave do inferno e da morte…. e que pode mudar da água para o vinho qualquer situação adversa.

Devemos ficar firmes na palavra de Deus e falar menos…

Por Leonardo Souza

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE