Maria teve filhos após o nascimento de JESUS?

PUBLICIDADE

”Sabemos que a igreja católica canonizou Maria e outros personagens bíblicos e, dessa forma, os tornou como santos e ensina as pessoas à rezar e fazer preces para essas divindades.”

(Seguindo o Evangelho) – Analisando esse assunto à luz da bíblia, podemos ver algumas características de Maria e também concluir o porquê não é correto rezar à ela nem muito menos a adorar como santa ou intermediadora entre nós homens e Deus.

PUBLICIDADE

“E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré. A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.” (Lucas 1:26-33)

1 – Aqui podemos ver que Maria era noiva de José, portanto não era ainda casada e por isso virgem.

2 – Veja que o Anjo a saúda com o termo “bendita”, e que ela achou graça diante de Deus… ou seja, Maria era uma mulher judia e justa de comportamento exemplar, portanto “serva” de Deus.

PUBLICIDADE

3 – Depois quando o anjo fala sobre Jesus, ele diz “Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.”

Aqui sim, no caso de Jesus há uma clara referência de divindade, o anjo fala com reverência à respeito do Senhor Jesus.

PUBLICIDADE

“E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?
E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.” (Lucas 1:34-38)

“Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador; Porque atentou na baixeza de sua serva;…” (Lucas 1:46-48)

4 – Maria ressalta dizendo para o Anjo; Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? Maria se referia a situação em que se encontrava, ”virgem”. A bíblia usa o termo conhecer, no sentido de (ter relações sexuais). Nesse trecho o anjo deixa claro que o fato de ela conceber sendo virgem seria possível APENAS por obra do Espírito Santo da parte de Deus, ou seja, não foi um milagre de Maria e sim de Deus.

PUBLICIDADE

Mas, Maria nunca teve relações sexuais com homem algum? Segundo a Igreja Católica Apostólica Romana, não! Isso procede? Vejamos…

E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus. (Mateus 1:24,25)

Ora, José não queria aceitar Maria, pois qual homem iria aceitar uma mulher que nem havia se casado com ele ainda e já se encontrava grávida? Mas o anjo DO SENHOR visitou José e lhe explicou o que estava acontecendo! Então a Bíblia enfatiza num ponto chave para sabermos se Maria morreu virgem ou não.

Como eu expliquei à cima, o termo conhecer na Bíblia refere-se ao (ato sexual), então à partir dessa pré análise podemos notar o seguinte. Reparem no trecho em que diz; E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus. Vejam que trecho fenomenal para desencadear esta história! A bíblia em outras palavras fala que José não teve relação sexual com Maria até o nascimento de JESUS. Na continuação, vem a confirmação com uma grandíssima ênfase dizendo; o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.

A bíblia neste trecho passado, além de dizer que Maria teve sim uma vida de casada normal com José demonstrando que no casamento – incluiu relação sexual, pois era uma lei judaica – fala também que JESUS foi ”O PRIMOGÊNITO”, ou seja, o primeiro dos outros que viriam.
Os textos do Novo Testamento mencionam literalmente os “irmãos de Jesus”, que são Tiago, José, Judas e Simão. Confiram!

Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. (Marcos 6:3)

Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs? De onde lhe veio, pois, tudo isto? (Mateus 13:55,56)

Por tanto, é com clareza e solidez que podemos categoricamente afirmar que Maria teve relações sexuais com José sim, pois eram casados, e na lei judaica da época, casamento constituía-se também de relação sexual entre a esposa e o marido.

5 – O Anjo fala claramente “por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.”Novamente ele se refere à Jesus como uma divindade, mas em momento algum compartilha essa divindade com a pessoa de Maria. (JESUS É O DEUS EM CARNE)

6 – No final da conversa com o anjo, Maria novamente se coloca em uma posição de serva, de submissão a Deus: “Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra.”

Portanto, Maria, como uma mulher judia exemplar que foi, em nenhum momento se vangloriou ou mesmo se sentiu especial ou superior por receber esse chamado de Deus.7 – Depois de falar com o Anjo, ela contou para sua prima – que estava grávida de João Batista – tudo que houve… e fez uma oração à Deus, agradecendo a dádiva da parte Dele e novamente se colocando como serva. Uma oração genuinamente de uma serva fiel.

Nessa primeira análise conseguimos ver o perfil de serva fiel que tinha Maria, humilde e escolhida para gerar nosso salvador Jesus Cristo, pois era prometida de José que era descendente de Davi.

Agora vamos analisar outro trecho bíblico que esclarece o papel de Maria no reino de Deus:

“E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.
E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.” (João 2:1-5)

8 – Aqui vemos que Maria, Jesus e “seus discípulos” foram convidados… e as pessoas já se admiravam pela forma que Jesus falava à respeito das coisas de Deus.

9 – As festas de casamento nessa época chegavam à durar cerca de 7 dias, mas aqui o vinho acabou no 3º dia. Isso seria uma vergonha para o noivo, pois a festa certamente terminaria muito antes da hora. Então Maria foi avisar Jesus que não tinha mais vinho…. certamente porque ela sabia que Jesus era poderoso e que ele poderia ajudá-los de alguma forma.

10 – Então Jesus lhe responde: “Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.” Aqui Jesus deixa claro que Maria não tem acesso, não pode interferir no tempo a nas ações de Jesus. Maria não pode interceder… Jesus não a concedeu essa autoridade. Notem que quando Maria pediu um milagre, uma ação direta do poder de Deus, Jesus não chamou ela de mãe e sim de MULHER, para deixar claro que ela não tinha divindade nem participação alguma em ações da parte do reino de Deus.

11 – Maria entendeu exatamente isso, pois ela mesmo sendo mãe de Jesus na terra, sabia que não tinha autoridade espiritual sobre Jesus, por isso ela prontamente reconheceu: “Fazei tudo quanto ele vos disser.”  

Com essa fala se resume o papel de maria no Reino de Deus: de SERVA.

Em outra ocasião, Jesus deixou bem claro:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)

Jesus não disse:

“Eu sou um dos caminhos…”
“Todas as religiões levam à Deus…”
“Basta ter bom coração, não fazer mal a ninguém que será salvo…”

Jesus é a porta que nos conduz à salvação, sem andar de acordo com a Palavra e aceitar à Cristo como único e suficiente Salvador, ninguém verá a Deus!

Recorrer à outros “meios” para rezar, para fazer preces ou mesmo para interceder por nós à Deus é anti bíblico… Deus não se agrada disso!!

Aqui encontramos a confirmação de que há somente um mediador;

Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo. (1 Timóteo 2:5,6)

Temos ”um” advogado, o nome DELE É JESUS e não Maria!Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (1 João 2:1)

Conclusão:

Maria certamente foi uma mulher comum, como qualquer outra, mas foi agraciada pelos planos soberanos de DEUS que à separou para conceber o fruto DO ESPÍRITO. Maria foi uma serva fiel, temente à Deus e certamente tinha plena consciência da sua condição humana.

Ela era como um de nós, concebeu Jesus ainda virgem mas teve marido… e José teve outros filhos com ela. Maria teve um papel importantíssimo na bíblia e na história da humanidade ao ser escolhida por Deus, mas isso não dá a ela o direito de ser adorada ou santificada.

Se fosse assim, teríamos que ascender velas para o profeta Isaías, para Jeremias, para Moisés, para Davi, Josué, Jacó, Abraão e por ai a fora, pois todos eles tiveram papéis chaves no contexto bíblico.

Isso não dá aos cristãos o direito de ofender pessoas que nasceram e cresceram aprendendo à rezar Ave Maria como se isso fosse o correto. É muito difícil aceitar que isso são preceitos criados por homens.

O evangelho deve ser pregado à toda criatura, e quem convence do erro é o Espírito Santo.

Escrito por Raquel M.