Mãe e namorado tiram a vida do filho porque acharam que ele era gay

PUBLICIDADE

O menino foi encontrado num estado desumano

No dia 22 de maio de 2013 uma mãe ligou para o centro de emergência, ela dizia que seu filho de oito anos havia parado de respirar. Quando os paramédicos chegaram ao local encontraram uma cena chocante, a criança, Gabriel um garoto de olhos azuis, estava nu, com fraturas na cabeça, três costelas quebradas e, além disso, ele estava baleado e tinha vários dentes quebrados e faltando. Ele foi levado rapidamente para o hospital, mas devido aos ferimentos acabou morrendo dois dias depois.

As enfermeiras afirmaram que havia muitos ferimentos, contusões, inchaços, marcas nas pernas, feridas abertas, falta de pele acima do pescoço, Gabriel estava coberto de ferimentos da cabeça aos pés.

PUBLICIDADE

Autoridades tinham conhecido dos maus-tratos

Muitas pessoas testemunharam como o casal maltratava e torturava o pequeno Gabriel. Professores, vizinhos, conhecidos, todos fizeram queixa daquela situação horrenda. Para, além disso, a direção da escola de Gabriel já havia denunciado os maus-tratos às autoridades anteriormente. O menino chegava muitas vezes às aulas com olhos negros, mãos feridas, cicatrizes no corpo e lábios rachados.

Com os acusados presos, muitas testemunhas foram ao julgamento para falar sobre os abusos que o menino sofria. Os membros do júri ficaram tão chocados que começaram a chorar. A tortura à qual Gabriel foi submetido era inimaginável. Mais chocante do que isso só mesmo o motivo de todo esse ódio! A irmã mais velha de Gabriel explicou que a mãe, e, sobretudo o seu namorado, estavam constantemente punindo Gabriel porque eles achavam que ele era gay.

PUBLICIDADE

Abusos revelados pelos irmãos

De acordo com o testemunho de Ezequiel, Gabriel era espancado diariamente e forçado a comer comida de gato fora de prazo. Ezequiel também disse ao júri que seu irmão era frequentemente preso e trancado em um armário sem comida ou água por horas. O casal ria enquanto a tortura estava acontecendo, disse o irmão.

Depois de um longo e tedioso julgamento, o veredicto finalmente chegou nesta semana. O juiz sentenciou à mãe a prisão perpétua, e o namorado Isauro Aguirre teve pena de morte pelo assassinato horrendo de Gabriel. O resto da família de Gabriel ficou aliviado por ter sido feita justiça, embora isso não traga o menino de volta.

PUBLICIDADE

 

Escrito por Redator