Igreja é forçada a retirar a palavra “Jesus” da propaganda da Páscoa, pois a palavra é considerada ”ofensiva” para os não-cristãos

PUBLICIDADE

Uma igreja foi forçada a remover a palavra “Jesus” de seus sinais antes da Páscoa porque tem causado ofensa.

A Igreja Elim na Costa Central, em Nova Gales do Sul, pagou por sinais digitais para que fossem exibidos no centro comercial Erina Fair, a propaganda “a grandeza de Seu poder”.

PUBLICIDADE

O pastor Martin Duffy disse a rádio de 2GB que o gerente do centro comercial Lendlease se opôs ao conteúdo da propaganda e os obrigou a mudar os termos da propaganda que ao invés de citarem ”JESUS” tiveram que mudar para “Cristo ressuscitado”.

A Igreja de Elim é uma igreja evangélica de West Gosford localizada a norte de Sydney.

PUBLICIDADE

Segundo o Pastor, eles foram obrigados a retirarem o nome JESUS por supostamente ter ofendido pessoas que não são cristãs.

Após o ocorrido o pastor Duffy disse que a agência de comunicação Lendlease mudou de idéia e permitiu que a palavra “Jesus” fosse incluída na propaganda.

PUBLICIDADE
A propaganda faz referência a grandeza de JESUS e da manifestação do seu poder. A igreja ainda ressalta que JESUS está mais vivo do que nunca – o que obviamente causa certa ira por parte de ”anticristos”, que tem ódio estridente e se opõem severamente contra os princípios do evangelho de JESUS CRISTO.

Em uma declaração, uma porta-voz da Lendlease disse que se arrependeram de pedir que a originalidade da propaganda fosse alterada.

“Foi um erro de julgamento pedir à Elim Church que mudasse sua mensagem e pedimos desculpas por isso.

“A Lendlease valoriza a diversidade e a inclusão, e recebemos pessoas de todas as origens em nossos centros comerciais”.

PUBLICIDADE
Com informações de Dailymail

Escrito por Raquel M.