Eles iam matar o pastor, porém algo acontece e muda tudo

PUBLICIDADE

Os extremistas estavam prestes a atacar o pastor, quando Allen surgiu com seu testemunho maravilhoso e o livrou do pior.

“Eu sei que há pessoas que querem saber a verdade sobre Deus. Eu quero que eles experimentem o perdão que encontrei em Jesus Cristo”, disse a mulher à multidão. “Eu quero que minha família, meus amigos, meus vizinhos tenham o poder para a vida diária que Jesus provê através de Seu Espírito Santo. A transformação da vida”.

PUBLICIDADE

“Esta foi realmente uma atitude importante que a mulher decidiu tomar dentro de sua própria comunidade”, observou Allen.

“Eles estão lá, eles estão clamando e dizendo ‘Por favor, nos alimentem, por favor, cuide de nós’. E assim, a “Forgotten Missionaries International” adoraria poder apoiar mais plantadores de igrejas nesses lugares de acesso criativo e de difícil acesso”, ressaltou Allen.

PUBLICIDADE

Diante do testemunho dessa mulher os extremistas desistiram de colocar o plano em prática e não fizeram mal algum ao pastor. Ela foi realmente muito corajosa, pois ao se expor poderia também sofrer graves consequências. Allen mostrou ser uma mulher de fé inabalável e uma coragem sem igual. Foram as palavras dela que impediu que uma barbárie acontecesse naquele local.

“Estamos conscientes, preocupados, mas não alarmados. Grupos fanáticos estão espalhando a morte, mas esperamos que o governo possa controlá-los. As atividades pastorais e sociais da Igreja continuam, apesar disso tudo”, afirmou o bispo.

PUBLICIDADE

Pesquisador fala sobre situação delicada no país

“Alguns desses assassinatos foram reivindicados por extremistas – mas eles foram beneficiados pela passividade da lei, que falhou em processar qualquer um deles”, revelou Abbas Faiz, pesquisador da Anistia Internacional em Bangladesh.

“A impunidade prevalente em todos esses casos continua a enviar uma mensagem de que tais ataques são tolerados pelas autoridades. Acabar com a impunidade e garantir proteção para aqueles em risco deve ser uma prioridade para as autoridades de Bangladesh”.

PUBLICIDADE

Escrito por Redator