Pastor é preso durante culto e sua fé se torna grandiosa: “não tenho medo da morte”

Algo muito incomum e raro de se ver aconteceu na China em Guangzhou, província de Guangdong. Simplesmente 30 oficiais do governo chinês invadiram uma igreja e prenderam um pastor que estava pregando a palavra, resumindo, prenderam o religioso no meio de seu culto.

Huang Xiaoning, o pastor que estava pregando, disse que cerca de 30 homens do governo chegaram e invadira a Igreja Reformada da Bíblia. No momento que tudo aconteceu ele estava ministrando a sobre a palavra de Deus e os homens ordenaram que todos enviassem seus documentos de identidade à organização China Aid. Também disseram que era para ele parar imediatamente de reunir fiéis para a igreja.

Tudo aconteceu no dia 10 de junho e o pastor acompanhado de outros cristãos, foram detidos e levados para a delegacia onde ficaram por horas sendo interrogados. Isso nem foi o pior, a igreja ganhou de brinde uma multa de quase 8 mil dólares por estar realizando atividades religiosas. Os policiais alegam que o prédio utilizado para os cultos estaria violando um dos artigos do Regulamento sobre Assuntos Religiosos.

PUBLICIDADE

Seria o artigo 41 alegando que a igreja não estava registrada nos órgãos governamentais e o pastor fez uma jura de guerra prometendo que vai até o fim nessa luta conta a multa e contra a repressão que sua igreja sofreu. Huang afirmou que tomará todas as medidas legais para poder ser testemunha em nome de Deus.

Ele contou que já é pastor por praticamente duas décadas e nunca temeu nada, não possui um carro de luxo ou sequer uma mansão, não deve nada para ninguém. Disse que muitas vezes já lhe perguntaram se ele não possuía medo de ser multado e sua resposta sempre era a mesma, não tinha dinheiro para ser “pego” pelo governo, não tinha porque se preocupar com valores.

Ao falar sobre o medo de ser preso, revelou que jamais temeu a prisão e que nem mesmo em sua infância tinha medo da morte. É feliz como pastor e transmitindo a palavra de Deus, coisa que jamais iria deixar de fazer nem que isso lhe custasse sua própria vida.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE