Mundo cristão: ruínas de antiga igreja é encontrada em Armagedom, arqueólogos buscam novas descobertas

Para os cristãos, as palavras Armagedom e Megido tem um significado especial, já que segundo a Bíblia Armagedom é onde acontecerá a batalha final entre Deus, o bem, e Satanás, o mal. Megido, por sua vez, é a localização geográfica de onde acontecerá esta batalha. Por isso, a prisão israelense Armagedom, localizada próximo ao monte Megido, tem muito significado para cristãos ao redor do mundo.

Agora, o governo israelense finalmente acertou a transferência do local para abrir espaço para novas pesquisas arqueológicas. Isso porque cientistas já encontraram ruínas no local que podem servir para diversos estudos, inclusive para confirmar histórias bíblicas. Mais recentemente, ruínas de uma Igreja foram localizadas no local. As escavações precisaram ser suspensas, porque a prisão bloqueava novas incursões. A prisão do Armagedom é um local de segurança máxima que tem entre os detentos militantes do Hamas e membros do movimento “jihad islâmica”.

Os arqueólogos se mostram novamente animados com a possibilidade de novas descobertas. No local existem evidências de que havia uma igreja ali, que segundo estimativas funcionou entre os seculos III e IV – se esta estimativa estiver correta, a igreja manteve suas portas abertas em um período duro para os cristãos, quando os romanos perseguiam aqueles que seguiam a Cristo. Mais uma evidência é que um mosaico onde aparece a inscrição “Deus Jesus Cristo” foi encontrado onde acredita-se ter sido uma sala de oração. O local foi batizado de “Grande Megido”, foi escavado durante 18 meses e nesse período foram descobertos vários artefatos.

PUBLICIDADE

Para o local, as autoridades israelenses pretendem criar um projeto que integre turismo e pesquisa. Mesmo antes de seu início, eles já esperam atrair em torno de 300 mil visitantes por ano. A área terá muito valor para os cristãos e deverá atrair fiéis e curiosos.

PUBLICIDADE

Mas para que tudo isso aconteça, o governo israelense primeiro precisa conseguir remover a prisão que abriga mais de 1000 infratores de alta periculosidade. Muito trabalho ainda resta, mas para especialistas nas áreas, o futuro será promissor para a exploração tanto pela arqueologia, quanto pelo turismo local que mira em cristãos como público alvo para o projeto.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE