“Idolatria está infiltrada na igreja”, revela ex-bruxa

Beth Eckert dedicou um bom tempo de sua vida as bruxarias no ocultismo. Ele afirmou que alguns dos principais falsos deuses estariam infiltrados na igreja. Ela revelou também que esses falsos deus já foram citados no antigo testamento.

Ao falar dos estilos musicais gospel modernos ela disse:

“A música de adoração moderna tornou-se um disfarce de Satanás para atrair o povo de Deus e alinhá-lo com a adoração profana”, disse ela.

“Eu comecei a reconhecer que havia uma grande batalha dentro da minha adoração. Depois de cerca de dois anos, o louvor se tornou um momento de intensos ataques de bruxaria contra mim. Isso tornou ainda mais difícil a minha tentativa de focar em Jesus, porque os ataques espirituais me deixavam debilitada”, revelou.

PUBLICIDADE

“Eu pensei que isso era por causa da igreja na qual eu estava, então quando nos mudamos para uma nova igreja pensei que todos os meus problemas iriam embora. Inicialmente isso realmente parecia ter acontecido, porque eu não reconhecia nenhum problema durante o louvor. Mas depois de alguns meses, eu percebi que novamente a minha adoração não estava mais focada em Jesus”, completou.

“Meu tempo de louvor e adoração passou a se focar mais em mim mesma, em vez de focar em Cristo. Eu pensava: ‘Se eu apenas pudesse fazer parte do grupo de louvor aqui’, ‘se eu pudesse me tornar mais conhecida aqui’, ‘se eu me tornasse alguém realmente especial aqui’. Eu tentava me justificar com estes desejos, dizendo que isso era necessário: ‘eu tenho um ministério e isso não pode ficar parado”, esclareceu. “Na verdade, eu só queria ter a oportunidade de alavancar a plataforma para mostrar o meu ministério, porque aquela igreja era bem maior que a anterior”.

“Este tipo de adoração não é normal e eu sabia disso. Na verdade, isso me incomodava e eu constantemente orava, pedindo a Deus para conseguir retomar o foco da minha adoração em Jesus e esquecer daqueles pensamentos que eu sabia que eram pensamentos mundanos e egoístas. Mas eles sempre voltavam à minha mente. Essa batalha só parou quando eu saí daquela e percebi que o louvor daquela congregação não estava focado em Jesus, mas no ego das pessoas”, contou.

PUBLICIDADE

“Muitas vezes, o foco do louvor está na música em si, na banda, nas luzes, na fumaça, em toda a produção, nas roupas dos líderes, mas não tem nada a ver com Jesus”, disse. “Talvez a igreja até tenha Jesus em seu nome e cante músicas com o nome de Jesus e Deus na letra. Eu não estou dizendo que Jesus não está nesses lugares, porque Jesus é Deus e Ele está em todo lugar. Mas certamente Ele não está colocado no centro desses templos”, alertou.

“Muitas vezes não nos damos conta de que há vários outros deuses sendo adorados. Se olharmos para o Antigo Testamento, veremos que estamos lutando exatamente contra os mesmos deuses, como Baal, Malok. Estes são apenas alguns dos nomes dos deuses que ainda estão ‘vivos’ na mente das pessoas, sendo adorados ativamente e estão sendo enviados às casas de adoração, muitas vezes infiltrados dentro das próprias igrejas”, frisou.

Beth deixou bem claro que as pessoas com dons musicais não deveriam jamais perder que o foco fosse perdido. O louvor é para adoração a Deus e não para venerar a si próprio.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE