De acordo com pesquisa o viciado em pornografia sente intensa solidão

De acordo com pesquisa o viciado em pornografia sente intensa solidão

De acordo com uma pesquisa a pornografia e a solidão estão ligadas e uma alimenta a outra. Ambas são tão tóxicas que se tornam um ciclo vicioso, destruindo os relacionamentos e a saúde, que essas relações podem trazer ao casamento e a família.

A solidão pode levar a pessoa a se enfiar no mundo da pornografia, e se distanciar cada vez mais longe das relações saudáveis.

PUBLICIDADE

A sexualidade humana é biológica e neurologicamente ligada a uma experiência de relacionamentos, porém quando a pornografia é usada para ativar o sistema sexual produz uma falsa experiência de relacionamento, oferecendo ‘alívio’ temporário de sentimentos solitários, mas a pessoa se sentirá sozinha novamente e suas necessidades e carências se tornarão um buraco que nada será capaz de preencher.

Esse vazio pode aumenta a solidão.

PUBLICIDADE

Sem contar que a pornografia leva a pessoa a uma fantasia mental de uma experiência de relacionamento que não existe. Assim, a mente fantasia e biologicamente o sistema sexual engana o cérebro, imaginando que está tendo uma experiência de relacionamento e pode mascarar a solidão, mas por pouco tempo.

Sem contar que as histórias que são apresentadas nos filmes do mundo da pornografia, são mentiras, pura ilusão, e seus usuários não podem fugir do fato de que quando a experiência da pornografia acaba, quando toda a excitação do momento passa a pessoa se sente suja, sente nojo de si mesmo por causa do estilo de vida, a qual tem de se submeter para ter seus desejos saciados, e depois que tudo acaba ela ainda está sozinha em uma sala ou um quarto vazio, sem ninguém, o que causa ainda mais um aumento da tristeza e da solidão.

A pornografia desencadeia neurotransmissores como a epinefrina, que também é conhecida como adrenalina, dopamina, e outros, de modo que, quando usada compulsivamente, torna-se viciante. Quando o pornô é usado compulsivamente, o sequestro do cérebro se intensifica e redefine o “termostato do prazer“, exigindo que o usuário consumisse cada vez mais a pornografia ou material pornográfico para aumentar os níveis químicos suficientes para obter a mesma elevação e se sentir normal. E dessa forma a descida no mundo da devassidão e da lascívia é intensa.

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE